A prensa faz diferença nas minhas aplicações?

Uma das perguntas mais comuns que recebemos hoje em dia de nossos clientes é sobre a influência da prensa em seus resultados

Então, a prensa faz diferença nas minhas aplicações? A resposta é sim meu caro!

Para o trabalho com os papéis transfers da TheMagicTouch é necessário um equipamento que forneça pressão e temperatura uniformes para a transferência. Como estamos lidando aqui com o aquecimento de uma película pela chapa da prensa, é preciso que  este equipamento tenha contato com todo o papel simultaneamente e onde sejam possíveis os ajustes mais precisos (de pressão, temperatura e tempo) a que podemos chegar.

No caso, quando falamos de prensas planas não é referente somente a chapa da mesma, mas sim a maneira como a parte superior desce no transfer na hora da aplicação.

Veja um exemplo de equipamento que tem formato de chapa uniforme e seu tipo de movimentação:

O papel WOW para tecidos escuros, por exemplo, tem uma aplicação diferenciada dos demais, feita em duas etapas. Onde é imprescindível o uso de um equipamento com os ajustes uniformes e é indicado um teste tanto no processo de mascarar (Passo 1 – processo de máscara), como um teste de aplicação no tecido (Passo 2 – processo de aplicação no tecido):


Para o caso do papel WOW além da prensa  e dos acessórios de aplicação (manta de aplicação (T.Pad), película protetora (Release Paper) e película de selagem (NRP) outra dica importante é o uso do software Space Control que irá auxiliar nos ajustes e controles de densidade do branco e das demais cores.

De um modo geral, para todos os papéis transfer para têxteis da TMT Brasil (como o OBM, o TTC e T-One) é recomendado esse tipo de equipamento com ajustes uniformes que comentamos. Para os materiais de filme de recorte algumas prensas que podem se apresentar instáveis com os transfers laser, com alguns acertos, permitem aplicações de sucesso.

Há algumas prensas térmicas de fornecedores nacionais que foram testadas pela TMT Brasil, com nossos transfers,  em laboratório e sabemos que se comportam bem com os nossos papéis, podendo assim fazer indicações de marcas aos clientes se necessário.

Um tipo de prensa bastante comum no mercado é o que o pessoal chama de “boca de jacaré” este modelo de prensas costuma ter contato da chapa primeiro em cima e depois na parte de baixo da película do transfer, o que pode ocasionar uma diferença no momento da transferência. Outro detalhe sobre esse tipo de prensa é que seu aquecimento não tem um padrão uniforme em toda chapa, ocasionando assim algumas variações na aplicação, um dos motivos pelo qual não é indicado seu uso com os transfers laser.


Modelo prensa boca de jacaré

 


“TMT eu quero testar!”
Claro que você pode fazer isto, mas a indicação se mantém: é preciso trabalhar com os equipamentos apontados como adequados para ter sucesso em seus resultados.


“Minha prensa boca de jacaré vai funcionar! Ela é ótima para sublimação”
sem dúvidas para o processo da sublimação esse tipo de equipamento funciona perfeitamente, pela forma como a tinta se comporta quando aquecida: torna-se gás e ai sim adere ao tecido ou brinde. No caso transfers laser estamos trabalhando com um material que usa película para transferência (podendo transferi-la ou não dependendo do papel utilizado) e esse é um dos motivos principais do porque precisamos de ajustes uniformes para uma aplicação de sucesso.

Para bons resultados é importante sempre seguir as indicações do manual e de nosso suporte técnico.

Bons negócios e até o próximo post!

1 Comentários

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shopping cart